Friends

Friends

Agosto 9, 2019 0 Por Francisco Ramalheira
Partilhai e espalhai a mensagem gambuziana
A musica do tema da série é dos The Rembrandts

Defendo que o humor tem um papel muito importante na sociedade.

Não só é uma técnica de exceção para fazer a chamada crítica social, mas também porque humaniza a tristeza. O poder do riso torna os problemas mais fáceis de suportar e dá-nos força e alento para os momentos mais conturbados com que todos nos deparamos ao longo da vida. E mesmo que estejamos “apenas” cansados ou stressados depois de um longo dia naquele trabalho tão interessante na repartição de finanças, o humor serve como elemento libertador, permitindo-nos recuperar a energia despendida com aquele chefe mais acéfalo, dando-nos força para o dia seguinte.

Talvez por vivermos numa sociedade cada vez mais acelerada e onde ninguém tem tempo para viver e ser feliz, as séries de comédia (também conhecidas como sitcoms) tiveram um boom incrível nos anos 80 e 90, pululando na grelha televisiva americana como se de cogumelos se tratassem.

1994, o ano da amizade

No meio de tanta sitcom, em 1994 apareceu uma de argumento aparentemente simples e de pouca profundidade, mas que, aos poucos, granjeou paixões intensas por todo o globo.

Lembram-se do paralelismo do início do artigo entre o humor e a tristeza? Acreditem que a série ideal para quando estiveres em baixo é Friends! E para quando estiveres a rejubilar de alegria também. E para quando estiveres mais ou menos idem. A série é estupidamente boa seja qual for o teu estado de espírito. Qualquer macambuzio gosta disto.

A inveja é um pecado muito feio, mas se há gente de quem eu nutro este malévolo sentimento é daqueles sortudos que nunca viram Friends. Sim, é certo que a sua vida é mais pobre a vazia, mas tem pela frente 10 temporadas frescas para assistir.

A série

Esta premiada sitcom americana foi criada por David Crane e Marta Kauffman, sendo transmitida pela NBC entre 22 de setembro de 1994 e 6 de maio de 2004, tendo um total de 236 episódios.

Friends já foi transmitido em dezenas de países e, quinze anos após o final de série, as audiências das reposições ou a visualização em provedores globais de conteúdos em streaming (como o Netflix) continuam a apresentar números fantásticos. A série arrecadou seis Prémios Emmy, um Globo de Ouro, dois SAG Awards, assim como 56 outros prémios e um total de 152 nomeações. Se Cristiano Ronaldo fosse uma série seria Friends.

As séries cómicas são, por vezes, desvalorizadas pelos puristas e autodenominados grandes apreciadores de séries. Claro que não tem a dimensão de uma série dramática ou histórica. Nem quer. A função primária de Friends é fazer rir, ou seja, o objetivo primordial é, durante 20 minutos, nos estampar um sorriso idiota no rosto e nos fazer esquecer as preocupações desta vida madrasta. O que não impede que, amiúde, apresente alguns momentos de romance e/ou dramatismo de grande qualidade narrativa e que fazem o espetador ficar colado ao ecrã.

A verdade é que, é a única serie em que, mesmo sabendo os episódios de trás para a frente, nunca me canso de (re)ver. E é das poucas que consegue ter tantos episódios e manter a qualidade altíssima em quase todos eles.

A quantidade de grandes nomes de Holywood que foram convidados a participar em Friends é avassaladora

As personagens de Friends

Mas o que tem esta série de especial? É o enredo cheio de drama, intriga e reviravoltas épicas? Epá… Não. Friends é uma sitcom de narrativa banal que conta a vida de seis jovens adultos, descrevendo as suas preocupações e parvoíces típicas de quem ainda está a tentar encontrar e perceber o seu lugar no mundo.

Então o que destaca esta série dos milhares do mesmo género? Para mim, para além do inevitável excelente sentido de humor, o carisma das personagens. As mentes brilhantes que escreveram Friends conseguiram criar 6 personagens totalmente distintas, mas igualmente carismáticas ao ponto de inúmeros fãs não conseguirem apontar qual o seu favorito.

Um a um:

  • Rachel Green (Jennifer Aniston) – começa a série como uma jovem privilegiada que nunca teve de trabalhar e que, após deixar o noivo no altar, vai morar com Mónica. Ao longo das temporadas Rachel é alvo de uma enorme transformação, sendo as suas fases mais cómicas quando trabalhou com empregada de balcão no Central Perk (ofício para o qual era de uma incompetência atroz) e quando namorou com Ross.
Melhores momentos Rachel – cortesia canal MsMojo
  • Monica Geller (Courteney Cox) – A irmã de Ross é uma chef completamente maníaca pelas limpezas e arrumações, sendo a responsável por alguns dos momentos mais hilariantes de toda a série. O seu apartamento é o ponto de encontro dos seis amigos e a sua relação com Chandler é ainda hoje comentada e relembrada pelos fãs.

Melhores momentos Monica
  • Phoebe Buffay (Lisa Kudrow) – A sua mãe suicidou-se, o pai saiu de casa e ela passou a viver na rua aos 14 anos. Está dado o mote para uma personagem neurótica, depressiva e violenta, certo? Nada mais errado. Phoebe é a personificação da alegria e da generosidade, exibindo uma excentricidade adorável. Massagista de profissão, Phoebe também “toca” viola no Central Perk, sendo aí que nasceu o êxito interplanetário, simplesmente denominado como Smelly Cat. Anos mais tarde, este êxito musical foi a musa de inspiração que serviu para um grupo de quatro parolos criar um grupo de humorismo denominado por “Gato Fedorento”. Consta que teve algum sucesso, lançando para a ribalta um tal de Ricardo Araújo Pereira. Se não o conhecerem procurem no Google.

Melhores momentos Phoebe – cortesia canal MsMojo
  • Joey Tribbiani (Matt LeBlanc) – o parceiro de casa de Chandler é o membro do grupo que menos uso dá à massa encefálica, demonstrando um raciocínio lento hilariante. Maior do que o seu coração, só mesmo o seu estomago (“Joey doesn’t share food!”) e a sua habilidade inata para conquistar o sexo oposto, recorrendo à sua icónica frase de engate “How you doing?“.

Melhores momentos Joey
  • Chandler Bing (Matthew Perry) – filho de um travesti e de uma escritora de livros badalhocos, Chandler usa o seu sentido de humor de refinado sarcasmo como escape para as suas inseguranças. Reza a lenda que Chandler é muito parecido com o próprio Matthew, pelo que algumas das piadas não estavam no guião, sendo improvisadas pelo ator na hora. Antes da relação com Monica, a eterna namorada do Chan Chan Man era Janice, a criatura mais irritante que já pisou o solo terrestre, que granjeou a imortalidade com a inconfundível frase: “Oh… my… God!” e com gargalhada mais sensualona da História da televisão.

Melhores momentos Chandler – cortesia canal MsMojo
  • Ross Geller (David Schwimmer) – o irmão mais velho de Monica, é um paleontólogo que ama dinossauros e que ama ainda mais aborrecer os seus amigos com abomináveis histórias e teorias sobre ciência. Ao longo da série divorciou-se “apenas” três vezes, sendo hilariante a forma como tenta evitar o terceiro divórcio. A sua linguagem corporal e expressões faciais é das coisas mais hilariantes que já passaram pela televisão, sendo a sua relação com Rachel um dos momentos mais emblemáticos da série, assim como a frase: We were on a break!

Melhores momentos Ross – cortesia canal MsMojo

O ingrediente secreto

No entanto, séries com refinado sentido de humor, felizmente, há muitas. Então qual é que é aquele ingrediente secreto que faz com que Friends se destaque do resto da manada? Por muito lamechas que a resposta possa ser, a verdade é que esta se encontra na própria palavra que dá nome á série.

É comum os atores desenvolverem laços de amizade com os seus colegas. Mas o sexteto de Friends foi mais além. Uma coisa é ter um amigo, outra é um melhor amigo; uma pessoa em quem confiamos cegamente e com quem partilhamos tudo. Os seis tornaram-se melhores amigos, juntando-se sempre no final de cada episódio para comemorar e vendo a transmissão dos “seus” episódios em conjunto. Esta amizade não esmoreceu quando a série terminou, com vários elementos a aparecerem em eventos juntos (sem ter sido assim definido pelas promotoras), Jennier Aniston é a madrinha da filha de Courtney Cox e nos seus trabalhos posteriores, muitos convidaram os seus amigos dos Friends para fazerem aparições especiais.

“Eu amo este homem. Encontrei-me com ele ontem, mas mesmo que ficássemos cinco anos sem nos ver e se nos colocassem no mesmo quarto, seria como se nos tivéssemos encontrado no dia anterior”


Matt Leblanc sobre Matthew Perry

No livro oficial de despedida da série (Friends ‘Til The End), cada ator reconheceu nas suas entrevistas, separadamente, que considerava o restante elenco como parte integrante da sua família. E é por isto que a série foi e é um sucesso retumbante. Os grandes atores conseguem simular a amizade, mas quando a mesma é verdadeira já não é preciso atuar. E os sentimentos que só uma verdadeira amizade desperta transparecem para fora do ecrã. Todos os espetadores se sentiram amigos dos Friends.

Esta série não podia ter tido um título mais apropriado. Curto, simples, mas com tremendo significado. Para mim, no mundo da comédia, há um A.F (antes de Friends) e um D.F (depois de Friends).