David Cristina

David Cristina

Julho 10, 2019 0 Por Francisco Ramalheira
Partilhai e espalhai a mensagem gambuziana

Instagram do David

O gosto em fazer rir e em ter graça começou na faculdade quando o David estava a tirar um curso que tradicionalmente fomenta o gosto pela criatividade, pelo humor e pela prossecução da descoberta do poder imensurável do riso: biologia.

Foi nos tempos de faculdade que o David e mais três compinchas faziam sketches humorísticos e músicas de paródia ao vivo nos festivais académicos. Nascia assim o bichinho do humor dentro do David, que hibernou durante algum tempo quando o nosso amigo foi, aos 22 anos, trabalhar para os Estados Unidos, acordando após 8 anos de repimpada soneca, quando o exmo. entrevistado celebrou a sua entrada na terceira década de vida com o regresso ao nosso país.

Foi nesta altura que a pandilha da faculdade do “Movimento pela Ciência” se voltou a juntar. Foi um reencontro bonito. Em câmara lenta o quarteto separado pelas vicissitudes da vida correu para os braços uns dos outros. Abraçaram-se. Choraram juntos. E decidiram que queriam fazer qualquer coisa juntos na área do humor.

Vários formatos foram testados: rádio, sketches e até um episódio piloto para uma sitcom foi escrita. Mas a escolha do grupo acabou por recair na criação uma boysband de comédia musical. Tipo os Excesso, mas com malta que canta melhor.

Planeta Fluffen

Só faltava o nome para a recém-criada banda. Já estão a adivinhar qual é, certo? Um conjunto de biólogos apenas poderia ter um conjunto musical com este nome: Planeta Fluffen.

Não poderia mesmo ser outro.

Penso que é irrelevante explicar o que é o fluffen, pois todas as pessoas minimamente cultas sabem o que significava esta palavrinha tão singela, mas com tão bonito significado. Boa escolha David e demais Fluffenes!

O Verão em Carcavelos
É tão difícil dizer amor

A prometedora banda foi criada com o único e singelo intuito dos seus intervenientes se divertirem e vivenciarem agradáveis momentos de salutar camaradagem. Foi, por isso, com alguma naturalidade que o Planeta Fluffen acabasse por, aos poucos, perder o seu ímpeto criativo, com os seus artistas a dedicarem-se a outras atividades mais prosaicas como a família ou o trabalho.

No entanto, a verdade é que o Planeta Fluffen conseguiu granjear uma fatia de fãs devotos, sendo criado um pequeno culto de adoração destes quatro moços que cantam com o intuito de fazer rir. Se a música é um meio privilegiado de envolver, comover e nos fazer pensar, porque não servir também para soltar uma gargalhada? O Planeta Fluffen mostrou que o público está mais do que recetivo. E é por isso que, ainda hoje a trupe dos biólogos participa amiúde em espetáculos, sendo o corolário do reconhecimento pelo seu trabalho a sua participação no Festival NOS Alive, em 2017, no qual encontraram uma trupe de fãs devotos que cantavam e sabiam de cor os seus grandes hits.

Stand Up

À medida que o Planeta Fluffen ia tendo menos atividade, o David descobria outra paixão na área do Humor: o Stand Up.

Desde novo, sempre papou tudo o que era sitcom de qualidade, tendo ficado fascinado (tal como toda a gente de bom gosto) com a série Seinfeld, que principiava e terminava sempre com Jerry a fazer um pouco desta arte de estar de pé a contar piadas. Assim, falou com a Bang Produções (que já o conheciam do projeto musical), pedindo uma oportunidade para fazer Stand Up em part-time. E a Bang deu-lhe.

Embora seja um projeto para ser levado com o máximo de seriedade e profissionalismo, o objetivo era o mesmo dos Fluffen: ter graça e fazer os outros rirem-se de si e consigo. O Stand Up não era uma carreira; era um escape, no qual o David recorre ao seu exemplo e às suas experiências pessoais para abordar alguns temas mais sensíveis e desconfortáveis, transformando-as em histórias com as quais nos podemos rir e identificar.

Já são muitos os anos que o David leva deste ofício, nos quais teve incontáveis atuações por este Portugal fora e pelo estrangeiro, o que torna o sr. Cristina um dos humoristas nacionais com mais bagagem de palco, o que é particularmente notável pelo facto de que muitas dessas atuações terem acontecido numa época em que o conceito de “Stand Up” era desconhecido por muita malta, confundindo-o até com os nomes pomposos que os ginásios dão às suas aulas.

(Isto é verídico, malta! Já testemunhei uma alma a perguntar o que se fazia numa aula de “Stand Up”).

Conta-me tudo

Numa altura em que o David era um dos comediantes residentes no LX Comedy Club, foi-lhe solicitado uma ideia para um programa para preencher as sextas-feiras à noite.

Ele pensou. Pensou. E voltou a pensar. E depois ponderou um bocadito. De seguida cogitou e meditou. E foi então que o seu génio puro e criativo se saiu com esta belíssima proposta:

“E se transformássemos isto numa casa de alterne para cidadãs de leste portadoras de busto avantajado?”

Este projeto vencedor e inovador foi chumbado. Infelizmente há indivíduos em posições de liderança que não tem a coragem para tomar decisões difíceis, mais progressistas. Mas felizmente o David tinha um plano B: noites de storytelling com comediantes. Nasceu assim o “Conta-me tudo”, um espetáculo de formato inovador em Portugal, e que teve o mérito de levar a palco algumas das grandes personalidades nacionais da área do humor, contando com a preciosa colaboração de João Dinis e do ator Pedro Górgia.

Na minha humilde opinião, o sucesso deste projeto deve-se a um pormenor muito simples, mas de enorme importância: o enfoque dado ao lado humano das histórias. Mais importante do que a história em si, é a importância que a mesma teve para o “contador”. É esta dimensão que permite transformar histórias aparentemente banais em epopeias épicas e carismáticas.

O sucesso deste formato fez com que, para além das sessões mensais em palco, exista um podcast (que podem ver no iTunes ou no Sportify) e um programa no canal Q, pelo que não há desculpas para não acompanharem estas sessões de storytelling apresentadas pelo David.

Para os interessados nestas temáticas, a malta do Conta-me Tudo organiza também workshops subordinados à temática do storytelling, pelo que os interessados devem acompanhar as redes sociais do programa, nas quais é explanada toda a informação:

Instagram

Facebook  

O coito

Sabem aqueles pais babados que passam 100% do seu tempo a falar dos seus filhos pequenos, descrevendo a sua existência como se fosse tudo perfeito e maravilhoso? São irritantes à brava não são? Não dá vontade de lhes dar com uma frigideira nas ventas?

O David acha que sim. Por isso, juntou-se a outra humorista que pensa o mesmo, a Exma. Dra. Joana Gama (podem recordar a sua entrevista ao Caca aqui) e criaram um espetáculo sobre a parentalidade, no qual contam a verdade sobre ter crianças em casa. Falando com conhecimento de causa — pois quer o David, quer a Joana tem filhos pequenos, — o Coito quer desmistificar o mundo cor-de-rosa e cheio de unicórnios que expelem gomas quando se peidam, que a maioria dos progenitores gosta de adjetivar a sua experiência enquanto pais. Urge mostrar o lado mais verdadeiro da aventura da parentalidade. Um lado onde nem sempre corre tudo bem. Onde há medos e receios. Há dificuldades em mudar fraldas. Há uma severa privação de sono. E há muitas histórias de cocó e com cocó. É, portanto, uma visão mais realista e humana da aventura que é ser pai ou mãe. Até porque se fosse tudo perfeito não tinha qualquer piada.

Uma das características do espetáculo é a sua vertente de improviso, com o David e a Joana a fazerem perguntas ao seu público, agindo e fazendo humor de acordo com as respostas que vão recebendo, pelo que cada espetáculo é único e merecedor da aquisição do ingresso.

Como era expectável, os espetáculos tiveram assinalável sucesso, pelo que já está a ser preparada a sua continuidade, num formato de maior dimensão, a partir de setembro. Não percam. E levem convosco os amigos chatos que só sabem falar dos filhos. Pode ser que eles percebam a mensagem subliminar que lhe estão a tentar passar.

E para o futuro?

Para além de ser pai, o David tem o seu trabalho dito “normal”, as atuações de Stand Up, o Conta-me Tudo e o Coito. E ainda tem as atuações esporádicas do Planeta Fluffen. É de esperar, portanto, que o pouco tempo livre que esta pobre alma tenha seja utlizado para fazer aquela atividade tão prazerosa aquando da entrada na idade adulta: dormir. Certo?

Nem por isso.

Para além de todas as atividades acima descritas, em breve poderão também acompanhar o trabalho do senhor Cristina na futura radio do Observador, sendo ele o responsável pela respetiva rubrica matinal de humor.

Na posição de mero individuo que aprecia e acompanha o trabalho do David, aguardo com impaciência por ouvir as algaraviadas deste individuo quando me encaminho para mais um dia de labuta. Estejam com atenção, que as aventuras radiofónicas do biólogo Fluffen começam já este verão.

O obrigadinho final

Em jeito de conclusão, não poderia deixar de agradecer ao David a disponibilidade e simpatia demonstrada ao longo de todo este processo, tendo sido um prazer trocar dois dedos de conversa com alguém que já esteve em tantos e tão diversificados projetos na área do humor.

Mas o meu principal agradecimento teria de vir, invariavelmente, para o gesto do David que comoveu o meu empedernecido coração: pagou-me o café.